sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Mail, e-mail, Correio, Postais e Afins...

Hoje em dia, para onde quer que nos desloquemos, temos acesso a uma caixa de correio electrónico, a um Skype, a um FB, de modo a que as notícias correm em  (quase) tempo real.

E longe vai o tempo, anterior ainda ao telefone, o primeiro 'revolucionador' da velocidade de processamento da informação, em que notícias demoravam semanas a chegar ao destino. E se a ausência não fosse muito prolongada, corríamos o risco de chegar primeiro!
Quantos de nós, não chegaram antes dos postais enviados das férias?

Pois e é aos postais que quero chegar com esta conversa. Eu ainda tenho o hábito de enviar postais das férias, mas é um hábito em vias de extinção, infelizmente. Receber um email, um SMS, um telefonema a anunciar que está tudo bem, é bom, mas o postal, mesmo esperado é outra coisa!
Aquela incerteza da data de chegada. 'Será hoje, amanhã. Ele disse que enviou ontem, Será que enviou? Será que   se perdeu?' É diferente.
E a chegada do postal, aquele momento de leitura entre a caixa do correi e a sala, a cozinha, whatever, em que o risco de acidente, num percurso mais que conhecido aumenta exponencialmente... gosto!

Como disse, em férias, de cada sítio por onde passo envio um postal para casa (tara?) e envio pelo menos um para os meus pais, para os meus amigos e, desde que ele criou este blogue e arranjou amigos nos quatro cantos do mundo, é ver-nos  munidos de uma lista excel com moradas, para enviar postais.


Pois é uma fortuna que se gasta. Muitos deles são enviados para a Índia, Estados Unidos, China; mas depois há o retorno: dos amigos que retribuem, ou com um sorriso, quando nos reencontramos; ou com um postalinhos de surpresa das suas férias. Os amigos do blogue, esses retribuel, com postais, também; e  vezes   peças filatélicas lindas, que o L. tanto aprecia.

E com tanta escrita, o que eu queria dizer, é que tenho sempre muita dificuldade em arranjar postais de Portugal actuais para enviar. Grande parte, quase todos, são postais de fotos da década de 80 do século passado. Os carros e os trajes... e as novas avenidas,  não enganam.

Mas o 'mal' é geral. De fora não chega coisa melhor. Das duas uma: ou os postais estão em vias de extinção... ou então a tiragem foi tão grande, que demora décadas a 'renovar'...

1 comentário:

Ricardo disse...

Pois é verdade, infelizmente pouco se escreve em vias de postais ou até mesmo carta.

E também é verdade, os postais muitas vezes já são antigos, aqui no Continente não sei, mas na Madeira há muito do século e da década passada, mas não sei se em 4 meses mudaram, lol

Beijinhos, gostei bastante deste seu post.