domingo, 4 de janeiro de 2009

Falta Sempre Alguma Coisa

-Ó Mãe, para que são as passas? Perguntou Rafael, quando viu a tia Luísa entregar taças com passas aos convidados.
-São para comer à meia noite. É tradição à meia noite comer doze passas e formular doze desejos!
-Que desejos?
-Os que tu quiseres. Saúde, sorte, que uma coisa que queiras se concretize...
-...quer dizer que posso desejar receber uma Playstation nos meus anos?
-Por exemplo.-Respondeu a mãe com um sorriso no canto da boca.
-E eu posso comer as passas? É que eu quero desejar uma PPlaystation.
-Podes. Pede à Tia Mas não podes dizer os teus desejos.
-Ó Tia, dá-me as minhas passas, que eu quero pedir uma Playstation para os meus anos... -apressou-se Rafael quando a tia vinha na direcção dele.
-Que estás tu a dizer?-Perguntou a tia sem perceber a conversa.
-Foi ele que me perguntou para que eram as passas e eu expliquei-lhe. Como ele quer uma Playstation nos anos dele, quer fazer disso um desejo para o próximo ano!-Respondeu a mãe.
-Mas Rafael, nós devemos pedir saúde, trabalho... essas coisas assim. Por exemplo se a tua mãe tiver saúde, pode trabalhar e já tem dinheiro para a Playstation...
-Está bem, essas coisas pede a minha mãe para os dois, eu peço as outras. Ó Mãe, precisas de alguma coisa?
-Sim, Filho, que tu te portes bem. E tu não podes dizer os teus desejos... são segredo!
-Mas se todos pedem o mesmo, já nem era preciso pedir...todos a pedir o mesmo...
-Pronto Rafael, já chega, agora concentra-te. Faltam cinco minutos para a meia-noite e tu tens de pensar nos teus desejos...
-...mas posso desejar a Playstation?
-Podes.-Respondeu a mãe já vencida pelo cansaço.
Todos na sala pararam de dançar, começaram a sentar-se nos lugares disponíveis com as respectivas taças de passas na mão. Rafael sentou-se no chão com as pernas cruzadas a olhar para as uvas e para o ar alternadamente. Era a única criança da sala. A irmã Carlota já um bom par de horas que dormia no quarto da tia... assim como os primos gémeos, que também haviam sido vencidos pelo sono, apesar de serem mais velhos que Rafael um ano.
Enquanto olhava para as uvas e para o ar ia pensando:
'Mas que vou pedir para além da
Playstation? Saúde a mãe pede. MAs será que tem passas para todos? A avó Leonor,uma, a avó Maria, duas; o avô Duarte três; os primos gémeos, cinco. A mana, essa ela pede...ela quando me dá um presente dá também à mana... a não ser que seja o nosso aniversário, mas como aqui não é... ela pede. E para o Pai? Se pede para mim e para a mana, também pede para ele de certeza... Faltam sete...não seis com a Playstation...
-Ó Mãe, quanto tempo falta? Ainda só me lembro de seis!
-Faltam três minutos. Agora sossega, deixa ouvir a contagem.
Enquanto todos estavam atentos ao relógio da sala a ver passar os últimos minutos e segundos do anos, ele continuou com a lista.
'Eu queria um cão, sim um cão de verdade, sete. Ir à Eurodisney, boa! Oito. É melhor também passar de ano, nove. E que o Sporting seja campeão. Bem precisa, anda com falta de sorte. Faz dez. Que a professora deixe de mandar trabalhos de casa. Bolas, já me esquecia... e esta que era tão importante!... faz onze. Falta uma...
Entretanto as pessoas começam a contagem dos últimos dez segundos antes da meia noite: dez, nove, oito...
´Caramba, não me lembro, já vai em sete, seis...Já sei, os jogos para a Playstation! Senão para que a quero sem jogos?!-pensa Rafael ao mesmo tempo que soam as doze badaladas!
Ufa, foi por pouco, quase que me esquecia dos jogos! E depois para que servia a Playstation?'
Com um sorriso de orelha a orelha com a sensação de 'missão cumprida' começa a comer as passas ao mesmo tempo que os pais se aproximavam e se abraçam os três.
-Ó Mãe, quase que ficava sem os jogos!
-Ó Mãe, esqueci-me de uma coisa!-Lembrando-se de repente do pedido da mãe.

-De quê, Filho?-perguntou a mãe a rir, enquanto o pai olhava para os dois sem perceber nada da conversa.
-De desejar portar-me bem! E agora, vou-me portar mal o ano inteiro?!



(História de ficção para a Fábrica de Histórias)

1 comentário:

Ricardo disse...

Gostei muito desta história fez-me rir muito.
Muitos parabéns por esta história está magnifica.