segunda-feira, 20 de junho de 2011

Home Sweet Home

Se tenho que estar longe das pessoas de quem gosto, lido bem com isso. E nunca esse foi motivo de deixar de fazer o que quer que fosse. Talvez por saber que a minha ausência não vai afectar a vida dessas pessoas significativamente.
Quando mudei para Braga, deixei todos os meus amigo no Porto. Muitos deles nunca mais os vi e outros só os reencontrei  no Facebook.
Vou tendo notícias deles pelos meus Pais, mas o convivio foi-se!
Aqui, em Braga, fui fazendo novas amizades, algumas das quais bem fortes, das que passam a fazer parte da 'família que a vida nos dá'.
Só há uma coisa de que não me consigo desligar e deixar de pensar: no Porto!
Em conversas com as pessoas ainda são inumeraveias as vezes que digo:'Aqui no Porto', 'Vou à baixa'.
E sou constantemente 'acordada' para a realidade de que estou a 50km, que não acordo com o cheiro do mar e do rio, que se os quero ver tenho que andar muito para sentir a sua brisa, o seu cheiro, como hoje senti...

2 comentários:

Manuela disse...

Querida Reflexos, por vezes quando chego à janela e existe uma neblina no horizonte, ainda por instantes me parece o mar... mesmo depois de vários anos ;)

Reflexos disse...

Pois, o mar, MAnuela... não há nada igual!