quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Autoridades brasileiras encontram trabalho escravo em fábricas da Zara (SIC)

Acabo de ler esta notícia e só tenho a dizer: lamentável!



O Ministério do Trabalho brasileiro encontrou trabalho escravo em várias fábricas de confecção da Zara, no Estado de São Paulo. A inspecção foi acompanhada pelas câmaras de uma televisão brasileira. A empresa espanhola Inditex, dona da marca  Zara, já reagiu e exige ao fornecedor brasileiro que resolva, de forma urgente,  a situação.
A questão foi divulgada pela imprensa brasileira que noticiou também  a confirmação pelo Ministério do Trabalho brasileiro da existência do caso  numa empresa subcontratada por um dos fornecedores de roupa para a marca  Zara.
A imprensa referiu que se confirmaram "irregularidades" na unidade em  Campinas, tendo a investigação levado a 52 autos de infração contra a Zara,  um dos quais faz referência à "discriminação étnica das tribos Quechua e  Aimará que recebiam prior tratamento que os outros trabalhadores".
Os trabalhadores, cerca de 15, estavam com "contratações ilegais, condições  degradantes e jornadas exaustivas de até 16 horas diárias".
A Inditex respondeu de imediato ao caso e pediu ao fornecedor para resolver  a situação, incluindo através do pagamento de indemnizações aos trabalhadores,  por considerar que a prática viola o seu Código de Conduta para Fabricantes  de Unidades Externas.
O grupo espanhol, em colaboração com as autoridades brasileiras, reforçará  ainda a revisão do sistema de produção, tanto deste fornecedor como das  restantes empresas com as quais colabora no Brasil, para garantir que o  caso não se volta a repetir.
Atualmente, a Inditex tem no Brasil 50 fornecedores estáveis que empregam  mais de sete mil trabalhadores.
O grupo realiza anualmente mais de mil auditorias a fornecedores em  todo o mundo, para garantir o cumprimento do Código de Conduta.

5 comentários:

Clara disse...

Epá que coisa, não sabia, tb não tenho "ouvisto" noticias

Manuela disse...

Querida Reflexos, desejo-te um fim de semana mais calmo e com as melhoras para o teu sogro.

Reflexos disse...

@ Clara: Pois é, a escravatura parece não ser passado! E somo coniventes com isso sem saber, quand compramos coisas feitas sob essas condições.
Bom fim de semana

Reflexos disse...

@ Manuela: Obrigada pela atenção e pelo carinho. Para acontecerem estas coisas não pedem licença nem perdem muito tempo... a cura, essa é que já não é assim.
Mas o importante é acreditar em melhores dias.
Bjinho

Turmalina disse...

Isso é uma vergonha...depois falamos dos outros...