quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Esrranha forma de estar

Não sei porquê, mas sinto-me estranha, muito estranha.
Aparentemente não aconteceu nada, de especial, pelo menos. MAs estou com aquele nervoso miudinho e aquele aperto no coração que não sei de onde vem nem no que e quando vai acabar.

Uma sensação de que me andam a não dizer qualquer coisa, que vou ser abandonada no ultimo minuto, ou que, inesperadamente, vou ter que correr em direcção a um sítio, desconhecido, para onde não quero, de encontro a alguém com quem não quero estar.

Tenho a sensação que vai ser um despender de energia sobre humano, contra a vontade e que no fim vou ficar entre o furioso, revoltado, irritado, comigo, por ter embarcado em algo que não queria... mas que não sei como lá cheguei!


Há muito que não me sentia assim, este estado de preocupação no ar. E preocupa-me. Temo que seja o meu 'oitavo sentido', como diz um amigo.

E quando estou assim, fico a pensar e em modo radar a olhar para tudo, a pensar em tudo e atenta a tudo e todos.

Ai, ai!

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Embora por razões provavelmente muito diferentes, também me sinto assim hoje. Há qualquer coisa no ar que me cheira a esturro..
Obrigado pelas felicitações no dia de aniversário e desculpe só hoje agradecer mas, como sabe, estive fora até terça feira e ontem foi um dia terrível
Bem haja!

Reflexos disse...

Ai, Carlos, às tantas não serão assim tão diferentes...
Obrigada pela visita.