quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Os Escolhidos

E desde as 12h00 já temos governo.
Uns sairam, outros ficaram, e outros houve ainda que trocaram de pasta, normal. E o que salta à vista da mairia das pessoas é a quantidade de mulheres. Não vou dar importância ao assubnto. Para mim o trabalho não tem sexo, ou é bem feito ou mal feito, independentemente do sexo de quem o exceuta.

O elenco:

A Presidência da República anunciou a posse do novo Governo socialista para as 12h00 de segunda-feira, no Palácio da Ajuda.


Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros – Luís Amado

Ministro de Estado e das Finanças - Fernando Teixeira dos Santos

Ministro da Presidência – Pedro Silva Pereira

Ministro da Defesa Nacional - Augusto Santos Silva

Ministro da Administração Interna – Rui Pereira

Ministro da Justiça - Alberto Martins

Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento - Vieira da Silva

Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas - António Manuel Soares Serrano

Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações - António Augusto da Ascensão Mendonça

Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território - Dulce dos Prazeres Fidalgo Álvaro Pássaro

Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social - Maria Helena dos Santos André

Ministra da Saúde - Ana Maria Teodoro Jorge

Ministra da Educação - Isabel Alçada

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Mariano Gago

Ministra da Cultura - Maria Gabriela da Silveira Ferreira Canavilhas

Ministro dos Assuntos Parlamentares - Jorge Lacão

Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros - João Tiago Silveira

2 comentários:

Alberto Velez Grilo disse...

Falta o primeiro Ministro.

Por mim estava bem sem, ele..

Mas de qualquer forma, chefia o elenco.

Ricardo disse...

Faço votos que este governo dirija o país de melhor forme do que a 4 anos atrás, embora seja o mesmo Partido e o mesmo Primeiro Ministro(infelizmente). Embora que não seja simpatizante do Partido Socialista, espero que todos façam um excelente trabalho e que olhem para as necessidades do povo e do País e não os deles.