quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Quero a minha Mãe

Quero a minha Mãe
Estou de rastos!
Homens, oh raça!
Solidariedade masculina!


Estes são os muitos títulos que este post poderia ter. E tudo isto porque depois de almoço comecei a ter umas cólicas, daquelas que nos cerram ao meio que nos fazem ter um só rumo: a 'casinha' mais próxima.

E sem aprofundar a conversa, lá me fui aguentando, tentando trabalhar entre 'viagens'.
Pensava eu que sairia do trabalho, cedo, vinha para casa, descansava, tomava um cházinho e conhecendo como conheço há uns anos valentes o meu esqueleto... tomorrow is another day e tudo passou!

Só que, o Sr L, telefona-me com aquela voz de quem está prestes a desmair, a dizer-me que está muito mal, que não aguenta as pernas e ... que quer vir para casa.
Eu disse-lhe que também não estava nada bem.
Decidimos vir para com a insistência dele para que me despachasse. Despachei, sim senhora, para apanhar seca no carro À espera dele e depois vir o caminho todo com ele a buzinar-me ao ouvido para que me despachasse que estava muito mal!

Cheguei o mais depressa que pude. Atirei-me aqui para o sofá, de onde saio para... já sabem.
Ele entretanto anda a melgar-me sempre a perguntar-me se estou melhor, aproveitando, sem que eu pergunte, para dar conta do estado dele!

Percebem agora os títulos!?

Quero a minha Mãe!
( mas não lhe vou dizer nada. Amanhã já tudo passou!)

2 comentários:

Turmalina disse...

...kkkk...entendi perfeitamente. Há duas semanas estive em cólicas tb, daquelas que começam doendo na cintura e chegam ao dedão do pé.E parece que os homens não compreendem mesmo a intensidade dessa dor. Na primeira vez que tivessem cólicas já se internariam e chamariam o padre.
Coragem, amiga...que logo passa...como sempre :o)

Reflexos disse...

Obrigada Turmalina.
Hoje já estou melhorzita... depois de uma noite bem dormida e de um pequeno almoço a chá e pão, já esqueci...