sábado, 29 de maio de 2010

Dia atribulado, o terceiro...

Acordei a pensar que ia ter um dia calmo. E tive até o L. tirar a protecção do olho e começar a dizer que via 'fiapos' e 'arco-íris' no olho.
Há 12 anos tudo começou de uma forma semelhante e depois de a maior recomendação do Dr Paulo ter sido para não facilitar; ligamos para ele.
Estava na clínica e a pessoa que atendeu em casa disse para irmos à clínica. E fomos, fomos a voar.
A clínica estava cheia, mais que o habitual. Para além das consultas decorriam umas jornadas oftalmológicas. A equipa que conhece o historial do L. e já o conhece bem, quando o viu, mobilizou-se para o atender. Os procedimentos habituais de medir tensão ocular, de dilatar e avisar o Dr Paulo que no momento era o orador na palestra...
Retribuiu a chamada quando terminou e deu indicações a um outro médico para observar o L. -lo com o todo o profissionalismo e cuidado. No final disse que estava tudo bem, que era só resultado da inflamação do olho e que a retina estava bem.
Saíram toneladas de cima das nossas costas. Retina descolada implica cirurgia de risco. E riscos é coisa proibida para este olho. As hipóteses já o L. as esgotou todas, com o olho esquerdo e agora a última ao sujeitar-se à cirurgia, que era inevitável. Era o tudo ou nada... e só o tudo interessa neste caso, o nada que tenha ficado há 12 anos atrás no olho esquerdo, perdido para sempre.
O susto passou, o receio paira. Os próximos quinze dias avizinham-se assim mesmo, de sustos, de incertezas, de dúvidas, de não saber como vai ser...

Um dia de cada vez e... pensar positivo, sempre!

1 comentário:

papoila disse...

É preciso ACREDITAR!
Acreditar SEMPRE...
beijinhos e as melhoras rápidas.